Blindman

Como todos sabem (ou deveriam saber =P) um dos laços de união do blog é a música de qualidade, não importa o estilo. Eu sou “roqueiro”, minha veia musical está no rock e suas vertentes, mas não dispenso a música boa.

Sempre estou revirando blogs atrás de algo que chame a atenção, ando meio cansadão de bandas que copiam bandas, ou pior ainda, bandas que ao tentar se redescobrir acabam virando uma cópia mal feita de si mesmas. Enfim…

Numa dessas buscas me deparo com uma gratíssima surpresa: Blindman. Banda japonesa estilo Hard/Heavy, com um pézinho nos anos 70/80, só que o som é atemporal, ficará por décadas rolando nos playlists da galera sem envelhecer. Coisa boa mesmo.

Conheço 2 discos deles: Subconscious in Xperience (2008) e Re-rise (2010)

Pra quem quiser conhecer um pouco mais deles:

http://www.myspace.com/blindmanfromjapan

http://www.metalkingdom.net/band/band_discography.php?idx=7120

Tomo a liberdade de colar um review feito na Whiplash.net sobre a banda:

Por Ronaldo Fortunato Miquelote

O BLINDMAN é uma banda desconhecida até para os admiradores do J-Rock. Porém, não deve ser ouvida como um bando de japas apenas fingindo tocar. Os integrantes, atuais e passados, são exímios em seus instrumentos. Re-Rise é o álbum mais recente dos japoneses “cegos”. Traz as típicas composições dos caras, Hard Heavy calcado nas pegadas de bandas como THIN LIZZY, WHITESNAKE, UK, GARY MOORE, UFO, ou seja, qualidade aqui é abundante como a das formações acima.

O vocalista Manabu Takaya tem um timbre grave, que remete a Ghaham Bonnet, atingindo notas quase tão altas quanto este; o Guitarrista Tatsuya Nakamura é um discípulo fidelíssimo de John Sykes, no vestuário e principalmente, no modo de tocar suas Gibson. Seichi Yamamoto, baixista fantástico, presenteia nossos ouvidos com linhas graves sinuosas, e virtuosamente bem tocadas, não sendo adepto do exibicionismo barato. Agora para falar do baterista, abro um parêntesis. Katsutoshi Murakami é um músico respeitadíssimo na cena japonesa, sendo cotado inclusive para ser o novo dono das baquetas do LOUDNESS. Bom que o escolhido foi outro, sendo que Cozy, como ele também é chamado, (até gravou um álbum-tributo à sua maior influência, o baterista inglês Cozy Powell) contribui aqui com algumas das viradas mais INSANAS que eu já ouvi, mostrando porque de ter sido chamado para testes para o LOUDNESS.

 

Falando das faixas do álbum, são 10, compostas por aquelas melodias atemporais que todos os amantes do bom e velho Rock, seja ele de que nacionalidade for, espera: refrões grudentos, guitarras furiosas, baixo técnico, bateria CAVALAR…

Até existe uma baladinha, linda, por sinal, “Alone With Sorrow”, no meio de tanta sonzeira.

Audição EXTREMAMENTE recomendada!

Integrantes:
Manabu Takaya – Vocais;
Tatsuya Nakamura – Guitarra;
Seishi Yamamoto – Baixo;
Katsuyoshi Murakami – Bateria; Percussão

7th ALBUM Re-rise

01. Running Wild
02. In The Pain of Love
03. Never Coming Again
04. A Foolish Clown on The Mess
05. High-hHanded Mask
06. Alone With Sorrow
07. I Need You Too Bad
08. Holding Your Heart
09. Leave Me Alone
10. Healer Says…

Gravadora: TRIUMPH Records

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: